jueves, 5 de mayo de 2011

LOS DONES DEL ESPÍRITU Y LA EVANGELIZACIÓN

Sin duda que los pasajes del Nuevo Testamento que mencionan los dones del Espíritu Santo se refieren al ejercicio de los mismos en las reuniones en las casas. Es sabido que los edificios para culto cristiano comenzaron a construirse después de concluida la redacción de las Escrituras.
Un pasaje importante que relaciona el tema de los dones con la evangelización lo encontramos en 1 Corintios 14: 23 ‘Así que, si toda la iglesia se reúne y todos hablan en lenguas, y entran algunos que no entienden o no creen, ¿no dirán que ustedes están locos?’
Ante el ejercicio fuera de control de los dones del Espíritu, se puede crear una situación que parezca locura a los ojos de los incrédulos. Pablo recomienda que para que tal cosa no ocurra, se debe regular el uso de los dones en las casas. Eso nos habla de la preocupación del apóstol por guardar la imagen de la iglesia ante la opinión pública. La imagen debía ser protegida para no obstaculizar el trabajo evangelizador.
No basta con que un don del Espíritu sea genuino y sea ejercido con toda honestidad. También se necesita hacerlo en un orden que no provoque en los amigos la idea que el evangelio es cosa de locos. El trabajo en las células no debe perder de vista a los invitados. La preocupación de Pablo era la imagen que las reuniones en casas podían dar a los incrédulos. Nosotros debemos hacer propia la misma preocupación. No debemos desechar el ejercicio de los dones, pero tampoco debemos olvidar que siempre habrá invitados presentes.


VERSIÓN EN INGLÉS

The gifts of the Spirit and the evangelization.
There is no doubt that the New Testament passages that mention the gifts of the Holy Spirit relate to their practice in the houses meetings. It is known that the buildings for Christian worship began to be constructed after the completion of the writing of the Scripture.
An important passage linking the topic of the gifts of the Spirit to evangelism is found in 1 Corinthians 14: 23 “If therefore the whole church be come together into one place, and all speak with tongues, and there come in those that are unlearned, or unbelievers, will they not say that ye are mad?”
The out of control practice of the gifts of the Spirit, can create a situation that could seem like madness in the eyes of unbelievers. For such a thing to ever happen Paul recommends, the regulation of the use of the gifts in the houses. That speaks of the Apostle's concern for keeping the Church’s image before the public opinion. The image had to be protected to avoid hindering the evangelization work.
A genuine gift of the Spirit and its practice in all honesty is not enough. It is imperative to do it in an order that will not cause friends to think that the gospel is a crazy thing. Guests should not be neglected because of the work in the cells. The image that the meetings in houses could give to unbelievers was Paul’s concern. We should make that same concern our own. We should not dismiss the practice of the gifts, but we should not forget either that there will always be guests present.

VERSIÓN EN PORTUGUÉS

Os dons do Espírito e a evangelização
Não resta dúvida de que os textos do Novo Testamento a respeito de dons do Espírito Santo se relacionam à sua prática nas reuniões nas casas. É sabido que os prédios para o culto cristão começaram a ser construídos após a conclusão da escrita da Bíblia.

Um trecho importante que conduz o tópico dos dons do Espírito ao evangelismo se encontra em 1 Coríntios 14.23: "Imaginem que a igreja esteja reunida e todos comecem a falar em línguas estranhas. Se chegarem ali algumas pessoas simples ou descrentes, será que não vão dizer que vocês estão loucos?"

A prática fora de controle dos dons do Espírito pode criar uma situação que pareça loucura aos olhos de incrédulos. Paulo recomenda que para que isso não aconteça se deve regular o uso dos dons nas casas. Isso nos fala da preocupação do apóstolo de guardar a imagem da igreja diante da opinião pública. A imagem devia ser protegida para não causar obstáculos ao trabalho de evangelismo.

Não basta que um dom do Espírito seja genuíno e seja exercido com toda honestidade. Também é necessário fazê-lo em uma ordem que não provoque nos amigos a ideia de que o evangelho é uma coisa de loucos. O trabalho nas células não deve perder de vista os convidados. A preocupação de Paulo era a imagem que as reuniões nas casas podiam causar nos incrédulos. Essa também deve ser a nossa preocupação. Embora não devamos negligenciar o uso dos dons espirituais na célula e celebração, devemos fazê-lo de tal maneira que mesmo os de fora (convidados) sejam edificados.