jueves, 23 de abril de 2015

NUESTROS PRIMEROS FRACASOS

En 1982 comenzó a llegar a El Salvador el libro del Pastor Cho “La Cuarta Dimensión.” Poco tiempo después llegó el libro “Los grupos familiares y el crecimiento de la iglesia”. A través de esos libros nos enteramos que en Corea del Sur existía una iglesia extraordinariamente numerosa. No obstante, en esos libros el Pastor Cho no habla claramente del sistema celular. Quedaban muchos cabos sueltos.
Las bases bíblicas mencionadas en los libros nos persuadieron que ese era el camino correcto y, así, hicimos varios intentos de trabajar con células, alrededor de tres, que terminaron fracasando. Hoy, en la distancia, puedo mencionar las razones por qué esos intentos no tuvieron éxito:
1-    Los líderes no tenían ningún entrenamiento. Fueron los creyentes más avanzados los que hicieron ese rol pero no recibieron ninguna instrucción; solo una fuerte motivación para el crecimiento numérico.
2-    Las reuniones no tenían equilibrio. El énfasis era el evangelismo. No había un equilibrio con el discipulado.
3-    No había lecciones para las reuniones, cada persona enseñaba lo que se le ocurría.
4-    No teníamos una conceptualización del trabajo celular. Ni siquiera teníamos una definición básica de célula.
En la actualidad tengo claras las razones de nuestro fracaso, pero, en esa época, no entendíamos por qué algo que parecía tan bueno y que se hacía con todo el corazón no daba los resultados esperados. Lo bueno de todo es que a pesar de no tener éxito no decayó nuestro entusiasmo. Ese es el valor principal que se puede rescatar: no darse por vencido si sabemos que las cosas son acordes a la Biblia.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

Our first failures.
In 1982 Pastor Cho's book “The Fourth Dimension”, started arriving in El Salvador. Shortly after, the book “Home Cell Groups and Church Growth” came. Through those books we learned that there was an extraordinary large church in South Korea. However, in those books Pastor Cho doesn’t speak clearly about the cell system. There were many loose ends.
The biblical basis mentioned in the books persuaded us that that was the right way; thus, we did several attempts to work with cells, about three, which ended in failure. Today, in the distance, I can state the reasons why those attempts were unsuccessful:
1- Leaders had no training. The most advanced believers were who developed that role but didn’t receive any instruction; they only had a strong motivation for numerical growth.
2- The meetings had no balance. The emphasis was evangelism. There was no balance with discipleship.
3- There were no lessons for the meetings; each person taught whatever he could come up with.
4- We didn’t have a conceptualization of cell work. We didn’t even have a basic definition of cell.
Today, I have clear reasons for our failure, but at that time we didn’t understand why something that looked so good and that was done wholeheartedly did not give the expected results. The good thing about it is that despite having no success, our enthusiasm did not wane. That is the main value that can be rescued: You don’t have to give up if you know that the things are according to the Bible.


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

Nossas primeiras falhas.
Em 1982 o livro “A Quarta Dimensão” do Pastor Cho começou a chegar em El Salvador. Logo depois, os livros Grupos Familiares e Crescimento da Igreja também chegaram. Através desses livros nós aprendemos que existia uma igreja extraordinariamente grande na Coréia do Sul. Contudo, nesses livros o Pastor Cho não fala claramente sobre o sistema celular. Havia muitas pontas soltas.
A base bíblica mencionada nos livros nos convenceu de que essa era o caminho certo. No entanto, nossas três primeiras tentativas falharam. Hoje, quando olho para trás em retrospectiva, posso afirmar as razões pelas quais essas tentativas foram mal sucedidas:
1. Os líderes não tinham treinamento. Alguns fizeram por conta própria, mas eles não receberam treinamento de nós.
2. As reuniões eram desequilibradas. A ênfase era somente no evangelismo, e não no discipulado.
3. Não havia instrução para a palavra da célula. Cada pessoa ensinava qualquer coisa que podia trazer para a reunião.
4. Nós não tínhamos uma conceituação sobre o ministério celular. Nós nem sequer tínhamos uma definição básica sobre célula.

Hoje eu tenho razões claras para o nosso fracasso, mas naquele tempo nós não entendíamos por que algo que parecia ser tão bom e que era feito de todo coração não deu os resultados esperados. O bom é que nosso entusiasmo não diminuiu, apesar de não vermos os frutos. Na verdade, essa é a principal lição que podemos aprender desses dias anteriores. “Você não precisa desistir se você sabe que o que você está fazendo é bíblico”.

jueves, 16 de abril de 2015

UN MODELO PARA CADA IGLESIA.

Con alguna frecuencia otras iglesias me invitan a enseñar sobre el trabajo celular. Los participantes hacen diversas preguntas. Pero, algunas veces, noto que las preguntas se enfocan en detalles de cómo se hacen las cosas en Elim. Cuando percibo que el interés va en el sentido de comprender el modelo de Elim con el fin de implementarlo en sus iglesias, detengo las preguntas y hago la aclaración que lo verdaderamente importante no es el modelo en sí. Que pueden tomar a Elim como un ejemplo, pero que no es el único. Que mas bien deben desarrollar su propio modelo por medio de la aplicación creativa de los valores y principios a sus circunstancias particulares.
Incluso el modelo de Elim, que fue inspirado en el modelo del pastor Cho en Corea, no es una copia exacta. Tenemos cosas en común, pero también tenemos elementos que son particulares de cada una de las iglesias.
Probablemente el modelo de Elim le pueda funcionar a algunas iglesias, especialmente de Latinoamérica. Pero, no creo que funcione para todas las iglesias y para todos los países. El modelo de Elim nació tomando en cuenta las características del salvadoreño y los aspectos culturales propios. Otras iglesias deberán desarrollar sus propios modelos. Esos modelos pueden irse ajustando con el paso del tiempo. Todo se puede mejorar. Es por ese motivo que el centro de atención debe ubicarse en los valores y principios del trabajo celular. Ellos son aplicables a todo lugar y época. Pero los modelos responden a lugares y tiempos específicos.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

One model for every church.
With some frequency other churches invite me to teach on cell work. Participants make different questions. But sometimes, I notice that the questions focus on the details of how things are done in Elim. When I perceive that the interest is in the sense of understanding Elim model’s, to implement it in their churches, I stop the questions and make it clear that what really matters is not the model itself. That they can take Elim as an example, but that Elim is not the only one; that they should rather develop their own model through the creative application of the values ​​and principles to their particular circumstances.
Even Elim’s model, which was inspired by Pastor Cho’s model in Korea, is not an exact copy. We have things in common, but we also have elements that are particular to each of the churches.
Probably Elim’s model could work for some churches, especially in Latin America. But I do not think it works for all churches and all countries. Elim’s model was born taking into account Salvadoran traits and own cultural aspects. Other churches should develop their own models. Those models can be adjusted over time. Everything can be improved. It is for that reason that the focus should be placed on the values ​​and principles of cell work. They are applicable to any place and time. But models respond to specific times and places.


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

Encontrando o seu próprio modelo. 
Frequentemente, outras igrejas me convidam para ensinar sobre o ministério celular. Eu sempre gosto quando os participantes fazem perguntas. Mas, às vezes, percebo que as questões focam nos detalhes de como as coisas são feitas em Elim. Quando eu noto que a pessoa quer saber o que estamos fazendo em Elim para que ela possa copiar os detalhes de nosso modelo, eu interrompo as perguntas e deixo claro que o que realmente importa não é o modelo por si só. Eu fico feliz que a Elim seja um exemplo para outras igrejas, mas ela não é o único exemplo. Cada igreja deveria desenvolver seu próprio modelo, através da aplicação criativa dos valores e princípios para suas circunstâncias particulares.
 Até mesmo o modelo de Elim, que foi inspirado pelo modelo do Pastor Cho na Coreia, não é uma cópia exata. Nós temos coisas em comum, mas também temos elementos que são particulares para a nossa situação, assim como Cho faz com seu próprio contexto cultural.
 O modelo de Elim poderia funcionar para algumas igrejas, especialmente na América Latina, mas eu não creio que funcione para todas as igrejas e países. Ele nasceu levando-se em conta as características de El Salvador e nossos próprios aspectos culturais. Outras igrejas devem desenvolver seus próprios modelos. Eles podem ser ajustados ao longo do tempo. Na verdade, tudo pode ser melhorado. É por essa razão que o foco deve ser colocado nos valores e princípios do ministério celular, que são aplicáveis a qualquer lugar e momento. Mas modelos respondem a momentos e lugares específicos. 

jueves, 9 de abril de 2015

LA DELEGACIÓN EN LA IGLESIA CELULAR.

Una de las características de las iglesias celulares es que poseen un pastor que sabe delegar sus funciones para que las ejerzan los miembros de su congregación. Si el propósito de los ministros es el “perfeccionar a los santos para la obra del ministerio” (Ef. 4:12), no hay mejor ambiente para hacer realidad ese propósito que el modelo celular. A través del discipulado las personas aprenden a ministrarse los unos a los otros, a exhortarse unos a otros, a confesarse sus faltas unos a otros, a orar los unos por los otros, a alentarse los unos a los otros.
El pastor de una iglesia celular no acostumbra monopolizar las tareas del ministerio. Por el contrario, se empeña en que otros comiencen a realizarlas. No teme ser desplazado o que los demás crezcan hasta opacarlo ejerciendo sus dones y talentos.  Aun en el caso extremo que eso ocurriera, lo considerará como un éxito y comenzará el proceso con otra persona.
En las iglesias celulares el ministerio deja de ser el lugar santísimo para un sumo sacerdote y se convierte en un sacerdocio universal, para todos los creyentes. Esa capacidad de abrirse para delegar generosamente es propio de las iglesias celulares. Se debe permitir a los líderes pastorear a los miembros de su célula. De esa manera, se poseerán líderes maduros espiritualmente y capaces de reproducirse en otros creyentes que, a su vez, llegarán a ser nuevos líderes.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

Delegation in the cell church.
One of the characteristics of cell churches is that they have a pastor who knows how to delegate his functions so the members of his congregation can exercise them. If the ministers purpose is “to equip his people for works of service” (Eph. 4:12), there is no better environment to realize that purpose than in the cell model. Through discipleship people learn to minister to one another, to exhort one another, to confess their sins to one another, to pray for each other, and to encourage each other.
A cell church pastor does not usually monopolize the work of the ministry. On the contrary, he insists that others begin to execute them. He doesn’t fear to be displaced or that others may grow to darken him with the exercise of their gifts and talents. Even in the extreme case that happened, he will consider this as a success and will start the process with another person.
In cell churches the ministry is no longer the most holy place for a high priest and becomes a universal priesthood of all believers. That ability to open up to delegate generously is common of cell churches. Leaders should be allowed to shepherd their cell members. Thus, you’ll have spiritually mature leaders that are able to reproduce themselves in other believers who, in turn, will become new leaders.


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

Delegação na Igreja em células.
Uma das características das igrejas em células é que elas têm um pastor que sabe como delegar suas funções. Se o propósito do pastor é “preparar seu povo para a obra do ministério” (Ef. 4:12), não há um ambiente melhor para cumprir esse propósito do que o modelo celular. Através do discipulado, as pessoas aprendem a ministrar umas às outras, a exortar umas às outras, a confessar seus pecados umas às outras, a orar umas pelas outras, e a encorajar umas às outras.
Um pastor de igreja em células não deve monopolizar a obra do ministério. Pelo contrário, ele insiste que outros comecem a cumprir seus papéis individuais. Ele não tem medo de ser substituído ou que outros possam crescem além de seus próprios dons e talentos. Mesmo se isso viesse a acontecer, pastores eficazes considerariam isso um grande sucesso e iriam orientar a pessoa para uma posição de liderança.  

Nas igrejas em células, o ministério já não é o lugar mais santo para um sumo sacerdote; pelo contrário, é um sacerdócio universal de todos os crentes. A capacidade de delegar generosamente é uma característica comum para todas as igrejas em células. Os líderes devem ter permissão para pastorear seus membros de célula. Quando isso acontecer, você terá líderes espiritualmente maduros que são capazes de se reproduzir em outros crentes que, em troca, se tornarão novos líderes.

jueves, 2 de abril de 2015

EL MOVIMIENTO CELULAR: BASADO EN EL NUEVO TESTAMENTO.

Al igual que en otras épocas, hoy en día la iglesia vive momentos en que varios movimientos le envuelven. Algunos de ellos son bíblicos y honestos, otros no poseen arraigo bíblico verdadero y desarrollan sospechas en las personas que no se dejan llevar por las apariencias o las sensaciones.
En ese ambiente, el movimiento celular hizo su irrupción y no faltaron quienes pensaron que se trataba de otra novedad producto de una forma ingeniosa de hacer crecer a las iglesias. No obstante, el movimiento celular tiene como fuente de su sustento el modelo de la iglesia del Nuevo Testamento. Su base de apoyo es la forma en que la iglesia primitiva se reunía. Eso ha permitido que el modelo celular, en su renacimiento moderno, se sostenga por ya más de medio siglo. Además, le permite que iglesias de todas las denominaciones puedan abrazarlo sin ver amenazadas sus doctrinas distintivas.
Cuando existe algún rechazo, normalmente es por confusión o por desconocimiento de las motivaciones y propósitos que el modelo procura. El énfasis en la comunión, el evangelismo y la edificación son los aspectos que se muestran como esenciales en el modelo celular. El tema del crecimiento es una añadidura que se produce en la medida que los anteriores elementos se ejercen de manera equilibrada y bíblica. Así las cosas, el modelo celular avanza rescatando los elementos básicos de cómo la iglesia del primer siglo realizó su culto y su vida de testimonio. Aunque las iglesias celulares no produjeran ningún crecimiento numérico especial, valdrían siempre la pena por su capacidad para crear el espacio para que los creyentes ejerzan sus dones de edificación, evangelismo y comunión.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

The cell movement: based on the New Testament.
As in the past, today the church lives a time when several movements envelop it. Some of them are biblical and honest; others do not have true biblical roots and raise suspicions in people who are not swayed by appearances or feelings.
The cell movement made its breakthrough in that environment, and there was no lack of those who thought it was another fad, product of an ingenious way of making churches grow. However, the cell movement has as a source of its livelihood the New Testament church’s model. Its support base is the way how the early church met. That has allowed the cell model, in its modern renaissance, to hold on for more than half a century. Besides, it has also allowed other churches from all denominations to embrace it without seeing threatened their distinctive doctrines.
When there is a rejection, it is usually due to confusion or ignorance of the motivations and purposes that the model procures. The emphasis on fellowship, evangelism and edification are the aspects shown as essential in the cell model. The growth issue is an addition produced as the above elements are exercised in a balanced and biblical way. Thus, the cell model progresses rescuing the basics of how the First Century Church held their worship and life of witness. Even if cell churches did not produce any special numerical growth, they would always be worthwhile for their ability to create space for believers to exercise their gifts of edification, evangelism and fellowship.


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

Seu movimento celular é baseado no novo testament.
Assim como no passado, a igreja de hoje vive durante um período de tempo com vários movimentos que a envolvem. Alguns deles são bíblicos e verdadeiros, outros não possuem as verdadeiras raízes bíblicas e acabam levantando suspeitas em pessoas que não se deixam levar pelas aparências e sentimentos.
Quando os movimentos atuais de células começaram, muitos pensaram que era só mais um movimento para fazer com que as igrejas crescessem. Entretanto, o movimento celular vai muito além disso. Tem raizes nos testamentos da igreja. Por essa razão, o renascimento moderno das células tem se mantido por mais de um século e agora prevalece em muitas denominações com uma variedade de doutrinas e distinções.
Quando essa estratégia de células é rejeitada, geralmente a confusão ou ignorância das motivações e propósitos que o modelo promove. A ênfase na comunhão, evangelismo e edificação são essenciais para esse modelo, assim como eles eram no novo testamento da igreja. Com comunhão, evangelismo e edificação acontecendo nas células, a igreja cresce rapidamente. Assim, o modelo em células leva o melhor da igreja do primeiro século, que também se expandiu e cresceu assim como primeiros cristãos viveram suas vidas diante de seus vizinhos. No entanto, mesmo que as igrejas em células não produzam um crescimento numérico especial, elas continuam a ser valorosas pela capacidade de crias espaços para os cristãos exercerem os dons de edificação, evangelismo e comunhão. 

jueves, 26 de marzo de 2015

PRINCIPIOS Y MODELOS

Los modelos celulares se forjan a partir de la combinación de características locales como cultura, geografía, clima, tradiciones, etnicidad. La suma de ello produce modelos que son válidos para lugares y épocas específicas. Esa es la razón por la que los modelos no se pueden transferir de un lugar a otro. Tampoco se debe adjudicar a un modelo la virtud de producir multiplicación o cualquier otra virtud cristiana.
Lo verdaderamente importante del trabajo celular son los principios que se encuentran en la palabra de Dios. Ellos son la base sobre la cual se edifican los modelos. De igual manera que los cimientos sostienen cualquier tipo de edificio, los principios del trabajo celular pueden sostener cualquier modelo. Lo esencial está bajo tierra. Lo trágico sería un edificio sin fundamento: no durará mucho tiempo en pie. Eso es lo que sucede cuando el énfasis se pone en el modelo y no en los principios.
Lo esencial es que los cristianos practiquen los componentes de la célula: evangelización, edificación y comunión. Si esos son los fundamentos, cada quien puede desarrollar su propio modelo de manera que responda a las características y necesidades de su entorno. El modelo no determina la multiplicación ni las virtudes bíblicas. Lo determina la puesta en práctica de los principios. Concentrémonos entonces en los principios antes que en los modelos.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

Principles and models.
Cell models are forged from the combination of local characteristics such as culture, geography, climate, traditions, and ethnicity. The sum of it produces models that are valid for specific locations and times. That is the reason why models cannot be transferred from one place to another. Nor should it be awarded to a model virtue to produce multiplication or any other Christian virtue.
What is really important about the cell work are the principles found in God's word. They are the basis upon which the models are built. Just as the foundation holds any type of building, the cell work principles can support any model. The essential is underground. The tragedy would be a building without a foundation: it will not stand for long. That's what happens when the emphasis is placed on the model and not on principles.
What is essential is that Christians practice the cell components: evangelism, edification and fellowship. If those are the foundations, everyone can develop his own model so that it responds to the characteristics and needs of his own environment. The model does not determine the multiplication or biblical virtues. This is determined by the implementation of the principles. Then let us focus on the principles rather than on the models.


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

Principios e modelos.
Modelos celulares são forjados a partir da combinação de características locais como cultura, geografia, clima, tradições e etinicidade. A soma dessas características produz um modelo que é valido para localidades e tempos específicos. Essa é a rasão por que modelos não podem ser transferidos de um lugar para o outro. Também não podemos colocar muito valor em um modelo espeficifico, uma vez que estão sempre vinculados a contextos, culturas e características.
O que é realmente importante sobre o ministério em células são os princípios encontrados no trabalho de Deus. Esses princípios formam a base sobre o qual os modelos são construídos. Assim como a fundação pode suportar qualquer tipo de construção, os princípios do ministérios em célula podem sustentar qualquer modelo. O que é essencial nessa estrutura. Nós sabemos que uma fundação sem uma estrutura forte, não permanece por muito tempo. Isso é o que acontece quando enfatizamos o modelo e não o princípio.
O essencial é que os cristãos pratiquem os componentes celulares: evangelismo, edificação e confraternização. Se esses forem os fundamentos, todos podem desenvolver seu próprio modelo que atenda as características e necessidades de seu ambiente. Lembre-se que os princípios compreendem a base que produz os modelos particulares, e não ao contrário. Vamos nos concentrar nos princípios e não nos modelos. 

jueves, 19 de marzo de 2015

LA CONSTANCIA EN EL TRABAJO CELULAR.

En español existe un dicho: “Los molinos de Dios muelen lento pero muelen bien”. Dios tiene su propio ritmo para cumplir sus propósitos, pero esos propósitos son perfectos. Somos nosotros los que siempre estamos apresurados y deseamos que la obra de Dios imite las sopas instantáneas y los hornos de microondas.
El trabajo celular es la obra de Dios y, consecuentemente, lleva su tiempo en producir sus resultados. Si no se posee la constancia y la perseverancia del agricultor y el artesano, no es posible obtener un buen producto al final. La razón del paso metódico de Dios no tiene relación con su omnipotencia sino más bien con nuestra impotencia para comprender sus designios. El ser humano es renuente a aceptar los designios profundos de Dios y se detiene solamente en los aspectos superficiales. Pero, cuando Dios hace morir nuestro yo, el camino se abre para que sus propósitos se cumplan en nuestros ministerios.
El ser humano es renuente a la muerte del yo. Eso es lo que hace que los procesos de Dios sean largos. Frente a ello, no nos queda otra cosa más que perseverar y perseverar. Sigue perseverando que un día la rosa de Dios emergerá por si sola.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

The constancy of cell work.
There is a saying in Spanish: “God’s mills grind slowly but they grind well”. God has his own pace to accomplish his purposes, but those purposes are perfect. We are the ones who are always in hurry and wanting the work of God to imitate instant soups and microwave ovens.
The cell work is God’s work, and consequently it takes its time to produce its results. If you don’t have the constancy and perseverance of the farmer and the craftsman, it will not possible to obtain a good product in the end. The reason for God’s methodical pace has no relationship with his omnipotence but rather with our impotence to understand his purposes. Man is reluctant to accept God’s deep purposes and stops to think only about the superficial aspects. But when God makes our inner self die, the way is opened for His purposes to fulfill in our ministries.
Humans are reluctant to die to self. That's what makes God’s processes long. In the face of this, we are left with nothing but to persevere and persevere. Keep persevering that one day God’s rose will emerge by itself.


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

A realidade do ministério celular em longo prazo.
Há um ditado em espanhol que diz: “Os moinhos de Deus moem devagar, mas moem bem.” Deus tem seu próprio ritmo para cumprir seus propósitos, mas esses propósitos são perfeitos. Nós somos aqueles que estão sempre com pressa e querendo o trabalho de Deus para nos oferecer resultados rápidos, como sopas instantâneas e fornos de microondas.  
 O ministério celular é o trabalho de Deus e, consequentemente, leva o seu tempo para produzir resultados. Se você não tem a constância e a perseverança do fazendeiro e do artesão, não será possível obter um bom produto no final. A razão para o ritmo metódico de Deus não tem nenhuma relação com sua onipotência, mas sim com a nossa impotência em entender seus propósitos. O homem é relutante em aceitar os propósitos profundos de Deus e tende a pensar apenas sobre os aspectos superficiais. Mas quando Deus faz o nosso eu interior morrer, o caminho se abre para Seus propósitos serem cumpridos em seu tempo.    

 Humanos são relutantes em morrer para si mesmos. Isso é o que torna os processos de Deus longos. Nosso papel é perseverar e permitir que Deus se mova em seu tempo. Conforme você continua a perseverar, Deus um dia irá cumprir seu propósito sozinho.

jueves, 12 de marzo de 2015

LAS METAS COMO INSTRUMENTOS DE EVALUACIÓN.

Las metas tienen un doble propósito: indicar el objetivo que se desea alcanzar en un tiempo específico y servir de instrumento de medición del avance obtenido una vez ese tiempo se agotó. El factor clave es el tiempo que se establezca para alcanzar la meta. Una vez ese tiempo transcurre, la meta establecida sirve de parámetro para revisar el trabajo hecho.
Si las metas fueron establecidas de manera razonable y basadas en los principios del modelo celular, se convierten en el patrón contra el cual deben ser evaluados los resultados. A veces pueden existir factores externos al modelo que pueden acelerar, detener o impedir el alcance de las metas. Pero, normalmente, el crecimiento está determinado por la dinámica propia del modelo celular que se basa en la puesta en práctica de sus valores y principios.
De manera que las metas, más que crecimiento, en realidad están midiendo las fortalezas o debilidades que determinado trabajo celular posee. En el caso que las metas se alcancen, resulta bastante fácil identificar los factores del ciclo celular que permitieron ese crecimiento. En el caso que las metas no se alcancen también no es muy difícil encontrar las debilidades en el sistema.
Cada vez que se cierra un período de trabajo celular, automáticamente, se está abriendo uno nuevo. Ese es el momento exacto para evaluar lo que se hizo y establecer los objetivos para el nuevo período. Esos objetivos, o nuevas metas, se enfocan en superar las flaquezas del pasado período y asegurar las fortalezas de lo que se hizo bien. Todo ese ejercicio no pudiera hacerse tan objetivamente sin la herramienta de las metas.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

Goals as evaluation tools.
Goals have a double purpose: indicate the objective that wants to be achieved in a specific time and serve as an instrument for measuring the progress achieved once that time has ran out. The key factor is the time established to achieve the goal. Once that time passes, the established goal works as a parameter to review the work that has been done.
If the goals were established in a reasonable way and based on the cell model’s principles, they become the standard against which the results should be evaluated. Sometimes there may be external factors to the model that can accelerate, stop or prevent the achievement of goals. But normally, the growth is determined by the cell model’s own dynamics that is based on the implementation of its values and principles.
So the goals, rather than growth, are actually measuring the strengths or weaknesses that a certain cell work has. In the case of reaching the goals, it becomes quite easy to identify the cell cycle factors that enabled that growth. In the case the goals are not reached it is also not too difficult to find weaknesses in the system.
Each time a cell work period closes, automatically a new one is opening. That is the exact moment to evaluate what was done and set the objectives for the new period. Those objectives, or new goals, focus on overcoming the weaknesses of the past period and ensure the strengths of what was done right. All that exercise could not be made as objectively without the goals tool.


TRDUCCIÓN AL PORTUGUÉS

Metas como ferramentas de avaliação.
Metas têm um propósito duplo: 1. Elas indicam o objetivo a ser alcançado em um tempo específico. 2. Elas servem como um instrumento para medir o progresso alcançado quando o tempo para alcançar o objetivo se esgotou. O fator chave é o tempo estabelecido para alcançar a meta. Uma vez que o tempo passa, a meta estabelecida funciona como um parâmetro para rever o trabalho que foi realizado.
Se as metas foram estabelecidas de uma forma razoável e com base nos princípios do modelo celular, elas se tornam o padrão pelo qual os resultados devem ser avaliados. Às vezes pode haver fatores externos ao modelo que podem acelerar, parar ou impedir a realização de metas. Mas, normalmente, o crescimento é determinado pela própria dinâmica do modelo celular que é baseada na implementação de seus valores e princípios.
Então as metas (em vez do crescimento) estão na verdade medindo os pontos fortes e fracos de uma célula ou de um sistema celular. Quando os objetivos são alcançados, torna-se bastante fácil identificar os fatores do ciclo celular que permitiram esse crescimento. Quando as metas não são atingidas, não é muito difícil encontrar pontos fracos do sistema.
Cada vez que um período de meta termina, automaticamente um novo se inicia. Esse é o momento exato para avaliar o que foi feito e estabelecer os objetivos para o novo período. Esses objetivos, ou novas metas, devem ter como foco superar as fraquezas do período anterior e reforçar os pontos fortes do que foi feito corretamente. Todo esse exercício não poderia ser feito de forma tão objetiva sem o instrumento de fazer metas.