jueves, 12 de julio de 2018

CONSTRUYENDO UNA CULTURA CELULAR DE MULTIPLICACIÓN

Cada líder y miembro de célula debe enfocarse en su prioridad, la cual, debe ser el fomentar relaciones que conducen a hacer discípulos que a su vez generan otros discípulos. De esa manera, la multiplicación celular estará garantizada. El hábito del enfoque es algo que solo cuesta al principio. Con el tiempo, el hábito se va haciendo más y más fácil de mantener. Mantener un hábito requiere mucha menos energía y esfuerzo que iniciarlo. Fijar un hábito al inicio permite que el resto del camino fluya de manera natural.

En una investigación que desarrolló la University College of London se buscó el tiempo que a una persona le toma el hacerse de un nuevo hábito. El alcance completo se lograba en lapsos que iban desde 18 hasta 254 días, dependiendo del hábito a adquirir. Pero la media crítica fue de 66 días. En los círculos de autoayuda se escucha que un hábito se adquiere en 21 días, pero ese es un promedio que la ciencia no apoya y que genera que las personas se desalienten antes de tiempo. Se necesita perseverar durante 66 días para adquirir un nuevo hábito. La clave entonces es la perseverancia.

Cuando la iglesia repite una y otra vez determinada conducta llega a habituarse. Eso es especialmente importante en un cuerpo como la iglesia que es constantemente variable en composición y que está continuamente pasando de una generación a otra. La dedicación perseverante a las relaciones con las personas y a discipular nuevos líderes creará una cultura celular de multiplicación que luego fluirá de manera muy natural.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

Building a multiplication cell culture
Each leader and cell member should focus on his priority, which should be promoting relationships that lead to making disciples who in turn make other disciples. In that way, cell multiplication will be guaranteed. The focusing habit is something that is only hard at the beginning. Over time, the habit becomes easier and easier to maintain. Maintaining a habit requires much less energy and effort than initiating it. Setting a habit at the beginning allows the rest of the way to flow naturally.

In an investigation developed by the University College of London, they searched for the time it took a person to acquire a new habit. The full achievement was reached in periods ranging from 18 to 254 days, depending on the habit to acquire. But the critical average was 66 days. In self-help circles you hear that a habit is acquired in 21 days, but that is an average that science does not support and that causes people to become discouraged ahead of time. You need to persevere for 66 days to acquire a new habit. The key then is perseverance.

The church becomes habituated when it repeats over and over again certain behavior. That is especially important in a body like the church that is constantly variable in composition and that is continually passing from one generation to another. The persevering dedication to relationships with people and the discipling of new leaders will create a cell culture of multiplication that will then flow in a very natural way.


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

Construindo uma cultura de multiplicação de células
Todo líder e membro da célula deve se concentrar em sua prioridade, que deve ser promover relacionamentos que levem a fazer discípulos que, por sua vez, fazem outros discípulos. Desta forma, a multiplicação da célula será garantida. Tornar isso um hábito é difícil no começo. Com o tempo, o hábito se torna mais e mais fácil de manter. Manter um hábito requer muito menos energia e esforço do que quando ele é iniciado. Fazer disso um hábito desde o começo permite que o resto do caminho flua naturalmente.
Em uma investigação desenvolvida pela University College of London, eles pesquisaram o tempo que uma pessoa levava para adquirir um novo hábito. Hábitos formados de 18 a 254 dias, dependendo do tipo de hábito. Mas a média crítica foi de 66 dias. Nos círculos de auto-ajuda, você ouve que um hábito é formado em 21 dias, mas essa é uma média que a ciência não apoia e que faz com que as pessoas fiquem desanimadas. Você precisa perseverar por 66 dias para adquirir um novo hábito. A chave, então, é a perseverança.
A igreja ajuda a formar hábitos quando encoraja e exemplifica o comportamento repetidas vezes. Isto é especialmente importante em um corpo como a igreja, porque há mudanças constantes e o bastão está continuamente passando de uma geração para outra. A dedicação perseverante às relações com as pessoas e ao discipulado de novos líderes criará uma cultura celular de multiplicação que fluirá de uma maneira muito natural.

jueves, 28 de junio de 2018

EL ENFOQUE PRIORITARIO DEL LÍDER

Hay muchas tareas que se le imponen a los líderes. Algunas de esas tareas son parte de su trabajo y otras son las que las personas creen que debe hacer. Pero, cada líder debe poseer una prioridad. Esa prioridad debe ser la de fomentar las relaciones que conducen a hacer discípulos; es decir, personas que luego asumirán la tarea del liderazgo. Esa prioridad demanda toda la atención y todos los esfuerzos del líder. Consecuentemente, habrá otras cosas que no alcanzará a hacer por mucho que se esfuerce. Pero, dejar cosas sin hacer es una contrapartida necesaria cuando se quieren obtener resultados extraordinarios.

No se debe considerar una falta el no hacer todo lo que la gente cree que el líder debe hacer. Eso es humanamente imposible. Por tanto, si el líder se dedica a tratar de hacer todo terminará haciendo nada. Por el contrario, debe enfocarse en su prioridad. De todas maneras siempre habrá cosas que no se harán. No importará lo que se deje de hacer si lo que sí se hizo fue la prioridad. Si el líder trabaja en su prioridad perderá automáticamente el equilibrio al dedicar más tiempo a una cosa en detrimento de otra. Así pues, la dificultad no está en que pierda el equilibrio, ya que deberá perderlo. La dificultad es que lo pierda descuidando su trabajo esencial de hacer discípulos que a su vez generan otros discípulos.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

The leader’s priority focus 
There are many tasks that are imposed on leaders. Some of those tasks are part of his job and others are what people think they should do. But, each leader must have a priority. That priority should be to foster the relationships that lead to making disciples; that is, people who will then assume the task of leadership. That priority demands all the attention and all the efforts of the leader. Consequently, there will be other things that he will not be able to do, no matter how hard he tries. But leaving things undone is a necessary counterpart when you want to achieve extraordinary results.
It should not be considered a failure not to do everything that people believe the leader should do. The reality is that it’s not humanly possible. Therefore, if the leader is dedicated to trying to do everything, he will end up doing nothing. On the contrary, he should focus on his priority, and yes, there will always be things left undone.  It will not matter what is left to do if what was done was the priority. If the leader works on his priority, he will automatically lose balance by dedicating more time to one thing to the detriment of another. So, the problem is not that he will lose his balance, because he must lose it. Rather, he must prioritize and concentrate on his essential work of making disciples that in turn will make other disciples.

TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

O mais importante primeiro
Existem muitas tarefas impostas aos líderes. Algumas dessas tarefas fazem parte de seu trabalho e outras são o que as pessoas acham que eles deveriam fazer. Contudo, cada líder deve ter prioridades. E a primeira delas é nutrir as relações que levam a fazer discípulos; isto é, manter o foco naqueles que se tornarão futuros líderes. Essa prioridade exige toda a atenção e todos os esforços do líder. Consequentemente, haverá outras coisas que ele não poderá fazer, por mais que tente. Mas deixar de fazer certas coisas é uma contrapartida necessária quando você deseja alcançar resultados extraordinários.
Não pode ser considerado um fracasso não fazer tudo o que as pessoas acreditam que o líder deveria fazer. A realidade é que isso não é humanamente possível. Portanto, se o líder é dedicado a tentar fazer tudo, ele acabará fazendo nada. Pelo contrário, ele deve se concentrar em sua prioridade. Em qualquer caso, sempre haverá coisas que não serão feitas. Não vai importar o que faltou fazer se a prioridade foi feita. Se o líder trabalhar em sua prioridade, ele perderá automaticamente o equilíbrio dedicando mais tempo a uma coisa em detrimento de outra. Então, o problema não é que ele perderá o equilíbrio, porque ele de fato deve perdê-lo. Em vez disso, ele deve priorizar e se concentrar em seu trabalho essencial de fazer discípulos que, por sua vez, farão outros discípulos.

miércoles, 20 de junio de 2018

ENFOCADOS EN HACER DISCÍPULOS

A partir de la globalización de las comunicaciones las iglesias se enteran de muchas más opciones de actividades que hace veinte años atrás. Conferencias vanguardistas, seminarios milagrosos, eventos de avivamiento, libros extraordinarios, conciertos musicales, programas educativos, congresos de jóvenes, producciones de multimedia, etc. Muchas cosas que no son malas y que hasta pudieran ser buenas para el ministerio pero que tienen la dificultad potencial de convertirse en distractoras de lo que realmente es importante. Este estado de cosas debería llevarnos a la comprensión de que hay muchas cosas que podríamos hacer pero una sola que debemos hacer. 

¿Qué es lo que debemos hacer? La Biblia lo dice con claridad: «perfeccionar a los santos para la obra del ministerio, para la edificación del cuerpo de Cristo» (Efesios 4:12). El sistema celular es una poderosa y práctica herramienta para hacer realidad esa tarea más importante. Obtener resultados extraordinarios viene determinado directamente por cuánto seamos capaces de reducir el objeto de nuestra atención. Enfocarnos en hacer discípulos deberá convertirse en la prioridad que no debemos sacrificar por ninguna otra tarea por piadosa que parezca. Cualquier cosa que nos distraiga del mandato de perfeccionar a los santos debe ser declinada con gentileza pero con mucha firmeza.El poder de enfocarse consiste en ignorar todo aquello que podríamos hacer y dedicarnos a hacer aquello que debemos hacer.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

Focused on making disciples
Since the globalization of communications, churches learn about many more activity options than twenty years ago. Avant-garde conferences, miraculous seminars, revival events, extraordinary books, musical concerts, educational programs, youth conferences, multimedia productions, etc. Many things that are not bad and that could even be good for the ministry, but that have the potential difficulty of becoming distractions of what is really important. This state of affairs should lead us to the understanding that there are many things that we could do but only one that we must do.

What should we do? The Bible says it clearly: «perfecting of the saints, for the work of the ministry, for the edifying of the body of Christ» (Ephesians 4:12). The cell system is a powerful and practical tool to make this most important task a reality. Obtaining extraordinary results is directly determined by how much we are able to reduce the object of our attention. Focusing on making disciples should become the priority that we should not sacrifice for any other task, however pious it may seem. Anything that distracts us from the mandate to perfect the saints should be declined with gentleness but with great firmness. The power to focus consists in ignoring everything we could do and dedicating ourselves to doing what we should do.


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS 

Focados em fazer discípulos
Desde a globalização das comunicações, as igrejas aprendem sobre muito mais atividades do que vinte anos atrás. Estou me referindo a: conferências de vanguarda, seminários milagrosos, eventos de avivamento, livros extraordinários, concertos musicais, programas educacionais, conferências de jovens, produções de multimídia e assim por diante. Muitas dessas coisas não são ruins e poderiam até ser boas para o ministério. O problema é que essas “boas atividades” podem se tornar distrações para o que é realmente importante. Precisamos entender que há muitas coisas que poderíamos fazer, mas apenas uma que devemos fazer.
O que devemos fazer? A Bíblia diz claramente: « Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo» (Efésios 4:12). O sistema das células é uma ferramenta poderosa e prática para tornar essa mais importante tarefa uma realidade. A obtenção de resultados extraordinários é diretamente determinada pelo quanto somos capazes de concentrar nossa atenção no que realmente importa. Concentrar-se em fazer discípulos deve se tornar a prioridade que não devemos sacrificar por qualquer outra tarefa, por mais piedosa que possa parecer. Qualquer coisa que nos distraia do mandato de aperfeiçoar os santos deve ser rejeitada com delicadeza, mas com grande firmeza. O poder de se concentrar consiste em ignorar tudo o que poderíamos fazer e nos dedicar a fazer o que devemos fazer.

jueves, 14 de junio de 2018

LA ALEGRÍA EN LA CÉLULA DE JESÚS

Es muy sabido que Jesús tuvo doce discípulos; ese era su grupo pequeño, su célula la llamaríamos hoy. Dentro de ella se vivía un ambiente muy alegre. La seriedad de las Escrituras no permiten que se cuelen todas las bromas que se hacían en el grupo de Jesús. Pero, algunas de ellas sí aparecen en los evangelios y nos dejan ver que Jesús era una persona que disfrutaba mucho con sus amigos. Entre ellos había uno a quien le apodaban “gemelo”, a otro “chaparro”, a otros dos “hijos del trueno” y a uno más “piedra”.

¿No lo crees? Vamos a los evangelios. «Dijo entonces Tomás, llamado Dídimo» (Juan 11:16). “Dídimo” significa gemelo. ¿Por qué le decían a Tomás el gemelo? No se sabe con seguridad, pero de seguro era porque se parecía mucho a alguien más. «María la madre de Jacobo el menor» (Marcos 15:40). Dado que había dos Jacobo dentro del grupo decidieron llamar a uno “el chaparro”, dada su poca estatura. 

El mismo Jesús no se quedaba atrás «… a Jacobo hijo de Zebedeo, y a Juan hermano de Jacobo, a quienes apellidó Boanerges, esto es, Hijos del trueno» (Marcos 3:17). Jacobo y Juan tenían tan mal carácter que Jesús les llamaba “hijos del trueno”. Cuando se enojaban estallaban como truenos. Tampoco hay que olvidar que a Simón también le llamó «piedra». Había tanta alegría en el grupo de Jesús que todos deseaban estar con él. En la medida que la convivencia entre las personas se hace relajante comienzan a desarrollar un sentido de pertenencia. Hagamos de nuestras células un lugar solemne pero con espacio para el esparcimiento fraternal.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

The joy in Jesus’ cell
It is well known that Jesus had twelve disciples; that was his small group, today we would call it his cell. Inside of it a very cheerful atmosphere was lived. The seriousness of the Scriptures does not allow all the jokes that were made in Jesus' group to slip through. But, some of them do appear in the gospels and let us see that Jesus was a person who enjoyed his friends very much. Among them was one who was nicknamed “the twin”, another “shortie”, two other were called “sons of thunder” and one more was called “stone”.

You do not believe it? Let's go to the gospels. «Then said Thomas, which is called Didymus» (John 11:16). “Didymus” means twin. Why did they call Thomas the twin? It is not known for certain, but surely it was because it looked a lot like someone else. “Mary the mother of James the Less”(Mark 15:40). Since there were two Jacobs in the group they decided to call one “the shortie”, given his small stature.

Jesus himself did not want to lag behind “... And James the son of Zebedee, and John the brother of James; and he surnamed them Boanerges, which is, The sons of thunder”(Mark 3:17). James and John had such a bad temper that Jesus called them “sons of thunder.” When they got angry they burst like thunder. Nor should we forget that Simon was also called “stone”. There was so much joy in Jesus’ group that everyone wanted to be with him. As the coexistence between people becomes relaxing, they begin to develop a sense of belonging. Let's make our cells a solemn place but with space for fraternal recreation. 


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

A alegria de Cristo na célula
Sabe-se que Jesus tinha doze discípulos, que faziam parte de seu pequeno grupo. Hoje chamaríamos isso de célula. A de célula de Jesus tinha uma atmosfera muito alegre. As Escrituras não nos contam sobre a diversão e piadas que foram feitas na célula de Cristo, mas algumas delas aparecem nos evangelhos. Vemos que Jesus era uma pessoa que gostava muito de seus amigos. Entre eles, tinha um apelidado de “o gêmeo”, outro “baixinho”, outros dois chamados “filhos do trovão”, e um chamado de “pedra”.

Conforme lemos os evangelhos: “Então, Tomé, chamado Dídimo” (João 11:16). “Dídimo” quer dizer gêmeo.  Por que eles chamavam Tomé de gêmeo? Não sabemos com certeza, mas ele certamente se parecia com outra pessoa. “Maria, mãe de Tiago, o menor” (Marcos 15:40). Já que existiam dois Tiago no grupo, eles decidiram chamar um de “o baixinho” por causa de sua baixa estatura.

Nós lemos em Marcos 3:17: “Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, aos quais deu o nome de Boanerges, que quer dizer: filhos do trovão”. Tiago e João tinham um temperamento tão difícil que Jesus os chamou de “filhos do trovão”. Quando ficavam bravos, eles explodiam como trovões. Não podemos esquecer que Simão também era chamado de “pedra”. Havia tanta alegria no grupo de Jesus que todos queriam estar com ele. Conforme as pessoas começam a relaxar umas com as outras, elas começam a desenvolver um senso de pertencimento. Vamos levar nossa célula a sério, mas sempre deixando espaço para o divertimento fraternal.

miércoles, 6 de junio de 2018

LA ALEGRÍA Y LA SOLEMNIDAD EN LA CÉLULA

Es muy importante que la participación en una célula sea una experiencia grata tanto para los miembros como para los invitados. Cuando el ambiente que se vive en ella es alegre y divertido las personas se sentirán atraídas para creer. No obstante, el trabajo dentro de la célula continúa siendo el cumplimiento de la Gran Comisión del Señor Jesús. En ella se combina la grata convivencia humana y el plan redentor de Dios basado en el sacrificio de su Hijo. Ese equilibrio entre solemnidad y alegría se expresa en el siguiente muy conocido versículo: “Y perseverando unánimes cada día en el templo, y partiendo el pan en las casas, comían juntos con alegría y sencillez de corazón, alabando a Dios, y teniendo favor con todo el pueblo” (Hechos 2:46-47).

Por una parte, se nos dice que en las casas las personas se reunían “con alegría”; pero, por otra, también se afirma “partiendo el pan”, que es una expresión referida a la celebración de la cena del Señor. Si bien la reunión contaba con la alegría de la comunión, también podía tornarse muy solemne como en el momento de hacer memoria del sacrificio de Jesús en el partimiento del pan. Entre esos dos elementos no había contradicción, pero tampoco un dominio de uno sobre el otro. La jocosidad es algo que no va con la conmemoración de la muerte del Señor y la solemnidad de esta ceremonia no va con la comunión fraterna que debe fomentarse en la reunión. El equilibrio se logra cuando se desarrolla cada ambiente en plenitud y se sabe pasar de un momento a otro. Todo tiene su tiempo y hay tiempo para reír y tiempo para conmemorar. El líder juega un papel preponderante en la tarea de hacer las transiciones entre los distintos momentos. Esa sabia combinación dará como resultado que las células tendrán “favor con todo el pueblo”.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

Joy and solemnity in the cell 
It is very important that participating in a cell becomes a pleasant experience for both members and guests. When the environment that is lived in it is cheerful and fun, people will be attracted to believe. However, the work within the cell continues to be the fulfillment of the Great Commission of the Lord Jesus. It combines the pleasant human coexistence and the redemptive plan of God based on the sacrifice of his Son. That balance between solemnity and joy is expressed in the following well-known verse: “And they, continuing daily with one accord in the temple, and breaking bread from house to house, did eat their meat with gladness and singleness of heart, praising God, and having favour with all the people.”(Acts 2: 46-47).

On the one hand, we are told that in homes people gathered “with gladness”; but, on the other, it is also affirmed that they were “breaking bread”, which is an expression referring to the celebration of the Lord's Supper. Although the meeting had the joy of fellowship, it could also become very solemn as in the moment of remembering the sacrifice of Jesus in the breaking of the bread. There was no contradiction between these two elements, but neither was there a domination of one over the other. The jocularity is something that does not go with the commemoration of the death of the Lord and the solemnity of this ceremony does not go with the fraternal communion that should be encouraged in the meeting. Balance is achieved when each environment is fully developed and you know how to move from one moment to another. Everything has its time and there is time to laugh and time to commemorate. The leader plays a preponderant role in the task of making the transitions between the different moments. That wise combination will result in the cells “having favour with all the people.


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

Alegria e solenidade na célula
É muito importante que participar de uma célula seja uma experiência agradável tanto para os membros quanto para os convidados. Quando o ambiente é alegre e divertido, as pessoas são atraídas para Jesus e muitas vezes se tornam crentes. Entretanto, a motivação principal do ministério celular é o cumprimento da Grande Comissão que Jesus Cristo deu à igreja. A Grande Comissão de fazer discípulos combina a alegria da comunhão com o plano redentor de Deus de atrair todas as pessoas a Jesus Cristo, baseado no sacrifício de Jesus. Esse equilíbrio entre solenidade e alegria é expresso no seguinte verso bem conhecido: “Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo… (Atos 2:46-47)

Por um lado, somos informados de que as pessoas se reuniam nos lares “com alegria”, mas, por outro lado, partiam o pão juntos, o que se refere à celebração da Ceia do Senhor. Embora a reunião tivesse a alegria da comunhão, também poderia tornar-se muito solene- os primeiros crentes se lembravam do sacrifício de Jesus através do partir do pão. Não havia contradição entre esses dois elementos, mas também não havia uma dominação de um sobre o outro. O equilíbrio é alcançado quando a alegria e a solenidade fluem juntas de um momento para outro. Tudo tem o seu tempo. Há um tempo para rir e um tempo para comemorar. O líder desempenha o papel fundamental em fazer as transições entre os dois. Essa sábia combinação resultará nas células “tendo a simpatia de todo o povo”.

jueves, 31 de mayo de 2018

LAS RELACIONES: LA PRIORIDAD EN EL TRABAJO CELULAR

Muchas veces se ha mencionado en estos blogs la importancia que tienen las relaciones personales para lograr un buen ministerio celular. Pero, una mala comprensión del rol del líder puede llevar a estropear ese enfoque. Muy bien lo expresa Dave Crenshaw en su libro «El mito de la multitarea: cómo “hacer todo” logra que hagamos nada»: «La gente con la que vivimos y trabajamos a diario merece toda nuestra atención. Cuando prestamos a las personas una atención fragmentada, cuando les dedicamos pedacitos de tiempo y saltamos de una cosa a otra, el costo de esas interrupciones será mucho mayor que el simple tiempo perdido. Acabaremos perjudicando muestras relaciones».

El asumir demasiadas tareas conduce a los líderes a descuidar lo esencial de las células. Los líderes no solo tienen un trabajo que hacer sino que es un trabajo que merece hacerse bien. La clave del trabajo celular exitoso es el enfocarse en una prioridad. Esa prioridad deben ser las relaciones. De ellas derivarán las conversiones, el discipulado y la edificación. Quienes se dedican a hacer varias cosas a la vez son malos en todas. Simplemente porque intentar hacer dos cosas a la vez no nos permitirá hacer ninguna de ellas bien. Esta es la recomendación: define tu prioridad y todo lo demás delégalo en los miembros de la célula. De esa forma, tu te enfocaras en lo que solo tu puedes hacer mientras los demás crecerán haciendo las tareas que les llevaran a convertirse en nuevos líderes.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

Relationships: the priority in cell work
Many times, we have mentioned in these blogs about the importance of personal relationships to achieve a good cell ministry. But, a poor understanding of the leader's role can lead to spoiling that focus. Very well expressed by Dave Crenshaw in his book The Myth of Multitasking: How "Doing It All" Gets Nothing Done: «The people with whom we live and work every day deserve our full attention. When we give people a fragmented attention, bits of time and jump from one thing to another, the cost of those interruptions will be much greater than the simple loss of time. We will end up harming our relationships».

Taking on too many tasks leads leaders to neglect the essentials of cells. Leaders not only have a job to do but it is a job that deserves to be well done. The key to successful cell work is to focus on a priority. That priority should be the relationships. Conversions, discipleship and edification will derive from them. Those who dedicate themselves to doing several things at once are bad in all of them. Simply because trying to do two things at once will not allow us to do any of them well. This is the recommendation: define your priority and delegate everything else in the members of the cell. In that way, you will focus on what only you can do while others grow doing the tasks that will lead them to become new leaders. 


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

Relacionamentos: a prioridade no trabalho das células
Muitas vezes, mencionamos nesses blogs a importância dos relacionamentos pessoais no ministério celular. No entanto, uma compreensão inadequada do papel do líder pode estragar esse foco relacional. Dave Crenshaw em seu livro The Myth of Multitasking: How “Doing It All” Gets Nothing Done (O Mito da Multitarefa: Como “fazer tudo” Faz com que Nada Seja Feito, em tradução livre), escreve: “As pessoas com quem vivemos e trabalhamos todos os dias merecem nossa atenção completa. Quando damos às pessoas uma atenção fragmentada, pedaços de tempo e saltamos de uma coisa para outra, o custo dessas interrupções será muito maior do que a simples perda de tempo. Acabaremos prejudicando nossos relacionamentos ”.
Assumir muitas tarefas leva os líderes a negligenciar os aspectos essenciais da vida das células. Líderes não só têm um trabalho a fazer, mas é um trabalho que merece ser bem feito. A chave para o ministério celular bem-sucedido é dar a ele foco prioritário. E esse foco prioritário deve ser principalmente nos relacionamentos. Conversões, discipulado e edificação derivarão desses relacionamentos.
Aqueles que se concentram em muitas coisas de uma só vez são ruins em todas elas. Por quê? Porque tentar fazer duas coisas ao mesmo tempo não nos permitirá fazer qualquer uma delas bem. Esta é minha recomendação: defina sua prioridade e delegue todo o resto para os membros da célula. Desta forma, você se concentrará no que só você pode fazer enquanto outros crescem fazendo as tarefas que os levarão a se tornarem novos líderes.

jueves, 24 de mayo de 2018

AVIVANDO LA PASIÓN EN EL TRABAJO CELULAR

Toda visitación de Dios representa una ruptura con el orden religioso. Juan el Bautista rompió con las ceremonias externas y se enfocó en un auténtico arrepentimiento. Jesús rompió con el sábado y otras tradiciones para enfocarse en la compasión por el necesitado. Como puede verse, era un regreso a lo esencial; lo que era verdaderamente importante para Dios. Eso, ha sido revelado en su palabra. Charles Finney definía el avivamiento como «un regreso a la obediencia a Dios». Cuando se produce un despertamiento es porque las personas se sacuden las tradiciones acumuladas para volver a lo esencial; para volver a la obediencia a Dios. 

El adoptar el modelo celular significa dejar de lado las tradiciones que se han acumulado durante dos mil años (que han dado como resultado lo que hoy se entiende por iglesia) para volver al modelo del Nuevo Testamento. Esa ruptura en las tradiciones es la que provoca el ardor del primer amor en el trabajo celular. Pero, todo movimiento tiende a convertirse en una institución. Las cosas se institucionalizan cuando van perdiendo su ardor y van volviéndose mecánicas. Para conservar la pasión, se necesita volver a la fuente: a la palabra de Dios. Allí se encuentra la renovación y la frescura que necesitamos para continuar con perseverancia obedeciendo su palabra. El Espíritu Santo es la persona que nos sostendrá fielmente hasta culminar nuestra tarea.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

Stirring up the passion in the cell work
Every visitation from God represents a break with the religious order. John the Baptist broke with the external ceremonies and focused on authentic repentance. Jesus broke with the Sabbath and other traditions to focus on compassion for the needy. As it can be seen, it was a return to the essentials; to what was truly important to God. That has been revealed in his word. Charles Finney defined revival as “a comeback to obeying God.”  When an awakening occurs it is because people shake off accumulated traditions to go back to the basics; to return to God’s obedience.

Adopting the cell model means setting aside the traditions that have accumulated for two thousand years (which have resulted in what is now called the church) to return to the New Testament model. That break in the traditions is what causes the ardor of the first love in the cell work. But, every movement tends to become an institution. Things become institutionalized when they lose their ardor and start becoming mechanical. To preserve the passion, one needs to go back to the source: to the word of God. We find there the renewal and freshness that we need to continue with perseverance obeying his word. The Holy Spirit is the person who will sustain us faithfully until we complete our task. 


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS 

Reacendendo a paixão no ministério celular
Toda visitação de Deus representa uma ruptura com a ordem religiosa. João Batista rompeu com as cerimônias externas e se centrou no arrependimento autêntico. Jesus rompeu com o Sábado e outras tradições para se concentrar na compaixão pelos necessitados. Deus muitas vezes traz seu povo de volta ao essencial, para o que é realmente importante para si mesmo, para as coisas reveladas em sua palavra. Charles Finney definiu o avivamento como “retornar à obediência de Deus”. Quando ocorre um despertar é porque as pessoas se livram das tradições acumuladas para voltar ao básico; para retornar à obediência de Deus.
Adotar o modelo celular significa deixar de lado as tradições que se acumularam há dois mil anos (que resultaram no que agora é chamado de igreja) para retornar ao modelo do Novo Testamento. Essa ruptura com as tradições é o que agita a paixão inicial da célula e o amor pelo ministério celular. Infelizmente, os movimentos tendem a se tornar instituições. As coisas se tornam institucionalizadas quando perdem sua emoção inicial e começam a se tornar mecânicas. Para preservar a paixão, é preciso voltar para a fonte: para a Palavra de Deus. Encontramos na Palavra de Deus a renovação e o frescor que precisamos para continuar a obedecer a Deus e não perder o primeiro amor. O Espírito Santo é a pessoa que nos sustentará fielmente até completarmos a nossa tarefa.