jueves, 23 de marzo de 2017

LA FILOSOFÍA DE LA IGLESIA CELULAR

 Contrario a las iglesias tradicionales donde los creyentes poseen un rol pasivo y de consumidores, las iglesias celulares se empeñan en que cada miembro se involucre activamente en responsabilidades tanto en la celebración como en las casas. El creyente es visto como alguien que debe tomar cuidado de sus hermanos y se decida a animarlos con su ejemplo para que asuman roles protagónicos.
La naturaleza de la iglesia celular es la de una amplia participación de sus miembros. Cada uno desarrolla su propio don para edificación del cuerpo. De manera que ser una iglesia celular implica un cambio esencial en la filosofía de cómo se entiende el ser iglesia y el papel que le corresponde a cada creyente. En el fondo, se trata del paso de un sistema sacerdotalista a uno evangélico. Es decir, pasar de un modelo teológico en donde el pastor es un mediador entre Dios y la congregación a un modelo en el cual cada persona va directamente a Dios sin necesidad de mediador y se ve responsable por cuidar de sus hermanos.
Como puede verse, el asunto no es solamente de adoptar una metodología de trabajo con células sino de realizar un cambio de mentalidad con respecto a cómo se entiende la iglesia y el papel de cada uno de los miembros. El cambio no solamente debe darse en el pastor sino que éste debe trasladarlo a la congregación con sus enseñanzas, la formulación de valores, el abrir espacios de participación, la delegación y el ánimo a los que ya trabajan. En la medida que el pastor tenga éxito en trasladar la nueva filosofía a sus miembros, tendrá éxito en multiplicar discípulos que asuman responsabilidades de liderazgo. Es cambiar la manera cómo se entiende el cristianismo.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

The cell church philosophy.

Contrary to traditional churches where believers have a passive and consumer role, cell churches are committed to having each member become actively involved in responsibilities both in the celebration and in the houses. The believer is seen as one who should take care of his brothers and dedicates himself to encourage them by his example so that they take on leading roles. The nature of the cell church is that of a broad participation of its members. Each one develops his own gift for the edification of the body. So being a cell church implies an essential change in the philosophy of how one understands being a church and the role that corresponds to each believer. In essence, it is the transition from a priestly system to an evangelical one. That is, to move from a theological model where the pastor is a mediator between God and the congregation to a model in which each person goes directly to God without the need of a mediator and sees himself responsible for caring for his brothers.

As it can be seen, the issue is not only about adopting a working methodology with cells but to make a change of mentality regarding how the church is understood and the role of each one of the members. The change should not only take place in the pastor, but he must transfer it to the congregation with his teachings, the formulation of values, opening spaces of participation, delegating and encouraging those who are already working. As the pastor succeeds in transferring the new philosophy to his members, he will succeed in multiplying disciples who assume leadership responsibilities. It is about changing the way Christianity is understood.



TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

A filosofia da igreja em células.
Em contraste com as igrejas tradicionais onde os crentes têm um papel passivo e consumidor, as igrejas em células estão empenhadas em ajudar cada membro a se envolver ativamente tanto na célula como no culto de celebração. O crente é visto como alguém que deve cuidar de seus irmãos e se dedica a incentivá-los pelo seu exemplo para que assumam papéis de liderança. A natureza da igreja em células é que todos participam. Cada um desenvolve seu próprio dom para a edificação do Corpo. Portanto, ser uma igreja celular implica uma mudança essencial na filosofia de como se entende ser uma igreja e o papel que corresponde a cada crente. Em essência, é a transição de um sistema sacerdotal para um evangélico. Ou seja, passar de um modelo teológico onde o pastor é um mediador entre Deus e a congregação para um modelo em que cada pessoa vai diretamente a Deus sem a necessidade de um mediador e é ele próprio responsável por cuidar de seus irmãos.
A questão não é apenas adotar uma metodologia de trabalho com células, mas fazer uma mudança de mentalidade sobre como a igreja é compreendida e o papel de cada um dos membros. A mudança não deve acontecer apenas com o pastor, mas ele deve transferí-la para a congregação através da pregação e do ensino. O pastor precisa formular os valores, abrir espaços de participação, delegar a outros e, então, incentivar aqueles que já estão ministrando. Conforme o pastor consegue transferir a nova filosofia para seus membros, ele terá sucesso na multiplicação de discípulos que assumem responsabilidades de liderança. Trata-se de mudar a maneira como o Cristianismo é compreendido. 

jueves, 9 de marzo de 2017

LA TRAMPA DEL CONTROL

Uno de nuestros pastores en una iglesia filial de Elim del extranjero tomó control de todas las actividades que se realizaban en su naciente congregación. Él se encargaba de la adoración, luego seguía con la predicación, luego colectaba la ofrenda, luego despedía a los hermanos y brindaba consejería a quienes lo necesitaban. Cuando le pregunté por qué lo hacía de esa manera me respondió que porque no había en la iglesia alguien que hiciera esas cosas bien. Que para asegurar que las cosas marcharan correctamente era mejor que él asumiera las responsabilidades. Así continuó durante algunos años hasta que su salud colapsó. Terminó en el hospital aquejado de diversas enfermedades.
Él había sido víctima de su propia trampa. Era cierto que no había en su iglesia personas que hicieran las cosas correctamente, pero porque él mismo no había creado el espacio para que las personas aprendieran. En su deseo de control y perfección cerró las oportunidades a las personas para que pudieran desarrollar con eficacia la obra del ministerio. Las personas se acomodaron y se volvieron participantes pasivos hasta que el pastor tuvo que pagar con un alto precio en su salud.
Lo mismo puede ocurrir en una célula cuando el líder no permite a sus miembros desarrollar funciones importantes del programa. Las cosas no serán hechas de manera perfecta al principio, pero solo debemos recordar que es el camino que todos hemos transitado en algún momento. Si no nos hubieran dado la oportunidad de comenzar, nunca hubiéramos aprendido. Es esencial abrir el espacio para la participación de los miembros de la célula si esperamos generar nuevos discípulos que, a su vez, generarán nuevas células.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

The control trap.
One of our pastors in an Elim branch church from abroad took control of all the activities that were carried on in his nascent congregation. He was in charge of the worship, then continued with the preaching, then collected the offering, then dismissed the brethren and provided counseling to those who needed it. When I asked him why he did this, he answered that he had to, because there was no one else in the church that could do these things well; that in order to ensure that things were flowing properly it was better for him to assume the responsibilities. This continued for some years until his health collapsed. He ended up in the hospital suffering from various diseases.
He had been the victim of his own trap. It was true that there were no people in his church who did things right, but because he himself had not created the space for people to learn. In his desire for control and perfection he closed the opportunities for people to effectively develop the work of the ministry. The people settled in and became passive participants until the pastor had to pay with a high price on his health.
The same can happen in a cell when the leader does not allow his members to develop important functions of the program. Things will not be done perfectly in the beginning, but we should only remember that this is the path we have all traveled at some point. If they had not given us the opportunity to start, we would never have learned. It is essential to open the space for the participation of the members of the cell if we expect to generate new disciples that, in turn, will generate new cells.


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

A armadilha do controle.
Um de nossos pastores em uma igreja braço da Elim no exterior tomou o controle de todas as atividades que eram realizadas em sua congregação. Ele era encarregado da adoração, então continuou com a pregação, depois coletava as ofertas, dispensava os irmãos e até mesmo fornecia aconselhamento aos necessitados. Quando eu perguntei por que ele fez isso, ele respondeu que tinha que fazê-lo, porque não havia ninguém na igreja que pudesse fazer essas coisas tão bem quanto ele. Ele achava que, para garantir que as coisas fluíssem corretamente, era melhor que ele assumisse as responsabilidades. Isso continuou por muitos anos e, finalmente, sua saúde desmoronou. Ele acabou no hospital sofrendo de várias doenças.
Ele foi vítima de sua própria armadilha. É verdade que havia poucas pessoas em sua igreja que pudessem fazer as coisas tão bem quanto ele, mas isso aconteceu principalmente porque ele não criou o ambiente para que as pessoas aprendessem e crescessem. Em seu desejo de controle e perfeição, ele não forneceu as oportunidades para que as pessoas efetivamente desenvolvessem o trabalho do ministério. As pessoas se acomodaram e se tornaram participantes passivos até que o pastor teve que pagar com um alto preço em sua saúde.
A mesma coisa pode acontecer em uma célula quando o líder não permite que os membros se desenvolvam e cresçam como discípulos através da participação ativa. As coisas não serão feitas perfeitamente no começo, mas nós devemos somente recordar que este é o caminho pelo qual todos nós passamos em algum momento. Se as pessoas que nos ajudaram não nos dessem a oportunidade de tentar, fracassar e tentar novamente, nunca teríamos aprendido. É essencial proporcionar oportunidades às pessoas para que possamos gerar novos discípulos que, por sua vez, irão gerar novas células. 

jueves, 2 de marzo de 2017

ALENTANDO A LOS LÍDERES DE CÉLULAS

El desánimo no tiene relación con la espiritualidad. Aún las personas más espirituales pueden experimentar caídas de ánimo. No tenemos dudas de la espiritualidad de Elías; no obstante, él sufrió una depresión que le llevó a desear la muerte. Eso ocurrió justo después de hacer descender fuego del cielo; algunas veces el desánimo puede llegar después de una gran victoria.
En su búsqueda de la muerte, el Señor se reveló a él  y le dijo que no estaba solo. Había otros siete mil que seguían siendo fieles al Señor. No obstante, Elías no sabía nada de ellos. El profeta no había recibido una palabra de aliento de ninguno de esos siete mil. Probablemente ellos pensaban que Elías no las necesitaba. Pero, Elías era tan humano como cualquiera y necesitaba el aliento que nos debemos los unos a los otros.
La historia nos muestra lo importante que es el alentar a las personas, eso puede hacer la diferencia entre la dedicación apasionada y el desánimo. Una persona que no es alentada puede llegar a una situación de depresión espiritual y emocional. Unas pocas palabras de aliento, un agradecimiento sincero, unas palmadas al hombro, una expresión de aprecio pueden hacer mucho bien a los líderes de célula.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

Encouraging cell leaders.
Discouragement has no relation to spirituality. Even the most spiritual people can experience mood swings. We have no doubt about Elijah’s spirituality; however, he suffered a depression that led him to wish his own death. That happened just after making fire come down from the sky; sometimes the discouragement can come after a great victory.
In his search for death, the Lord revealed himself to him and told him that he was not alone. There were another seven thousand who remained faithful to the Lord. However, Elijah knew nothing about them. The prophet had not received a word of encouragement from any of those seven thousand. They probably thought Elijah did not need them. But, Elijah was as human as anyone and needed the encouragement we owe to each other.
History shows us how important it is to encourage people, which can make the difference between passionate dedication and discouragement. A person who is not encouraged can reach a situation of spiritual and emotional depression. A few words of encouragement, sincere thankfulness, a pat on the shoulder, an expression of appreciation can do a lot of good to cell leaders.


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

Encorajando os líderes de célula.
O desânimo não tem relação com a espiritualidade. Mesmo as pessoas mais espirituais podem experimentar mudanças de humor. Nós não temos dúvidas sobre a espiritualidade de Elias. Entretanto, ele sofreu uma depressão que o levou a desejar sua própria morte. E isso aconteceu logo depois de fazer fogo descer do céu. Às vezes o desânimo pode vir depois de uma grande vitória.
Em sua busca pela morte, o Senhor revelou-se a Elias, mostrando-lhe que ele não estava sozinho. Havia outros sete mil que permaneceram fiéis ao Senhor. Contudo, Elias não sabia nada sobre eles. O profeta não recebeu palavra alguma de encorajamento de nenhum desses sete mil. Eles provavelmente pensavam que Elias não precisava deles. Todavia, Elias era tão humano como qualquer Pietra pessoa e precisava do estímulo que devemos dar uns aos outros.
A história nos mostra como é importante encorajar as pessoas, o que pode fazer a diferença entre a dedicação apaixonada e o desânimo. Uma pessoa que não é encorajada pode atingir uma situação de depressão espiritual e emocional. Algumas palavras de encorajamento, agradecimento sincero, um tapinha no ombro e uma expressão de apreciação pode fazer muito bem para os líderes de célula.

jueves, 23 de febrero de 2017

EL TRABAJO DE DIOS EN LA CÉLULA

Existe un programa a desarrollar en la célula. Éste puede variar de iglesia a iglesia. El propósito del programa es combinar los elementos de bienvenida, adoración, palabra y testimonio. Pero dentro de esos cuatro grandes elementos existe flexibilidad para que el Espíritu de Dios pueda tomar el control en el momento que lo desee.
Recuerdo una de las primeras reuniones en casa que realizamos. Yo me encontraba facilitando la reunión. Una hermana comenzó a compartir sobre un problema grave de salud que le impedía asistir a la celebración. Mientras escuchábamos su descripción de su penosa enfermedad, un hermano ya anciano, de repente interrumpió y autoritariamente nos pidió que nos tomáramos de las manos para orar. Él no pidió ningún permiso y ni siquiera me volteó a ver al hacer esa acción. Pero, todos nos tomamos de las manos y él dirigió la oración. Al finalizar, la hermana tenía un brillo en su rostro. Estaba renovada y muy feliz porque decía que ella se sentía completamente bien.
En el siguiente culto de celebración la hermana apareció en el edificio y no volvió a faltar más. Llegó a ser una de las diaconisas de la iglesia. Sin duda que había sido sanada sobrenaturalmente. Ese tipo de evento no planeado responde al ejercicio de los dones que el Espíritu Santo ha otorgado a su pueblo. Esa combinación entre programa y espacio para el Espíritu es el que debe procurarse en la célula.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

God’s work in the cell.
There is a program to be developed in the cell. This can vary from one church to another. The purpose of the program is to combine elements such of welcoming, worship, the word and testimony. But within those four great elements there is flexibility so that the Spirit of God can take control at any time He desires.
I remember one of the first house meetings we held. I was facilitating the meeting. A sister began sharing about a serious health problem that prevented her from attending the celebration. As we listened to the description of her grievous illness, an elderly brother suddenly interrupted and authoritatively asked us to join hands to pray. He did not ask for permission and did not even look at me to do that action. But we all held hands and he directed the prayer. At the end, this sister had a glow on her face. She was renewed and very happy because she said that she felt completely fine.
At the next worship service this sister appeared in the building and never missed any more services. She became one of the church ‘s deaconesses. No doubt she had been supernaturally healed. That type of unplanned event responds to the exercise of the gifts that the Holy Spirit has bestowed upon His people. That combination between program and space for the Spirit is the one to be pursued in the cell.


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

O trabalho de Deus na célula.
A organização da reunião celular varia de igreja para igreja. O propósito da organização é combinar elementos como recepção, a adoração, a palavra e o testemunho. Mas dentro desses quatro grandes elementos há flexibilidade para que o Espírito de Deus possa assumir o controle a qualquer momento.
Lembro-me de uma das primeiras células que realizamos. Eu estava facilitando a reunião. Uma irmã começou a compartilhar sobre um grave problema de saúde que a impediu de participar do culto de celebração. Enquanto escutávamos a descrição de sua doença grave, um irmão idoso, de repente, a interrompeu e. com autoridade, pediu para darmos as mãos para orar. Ele não pediu permissão e nem sequer me olhou para fazer aquela ação. Mas todos nós seguramos as mãos e ele dirigiu a oração. No final, essa irmã tinha um brilho no rosto. Ela estava renovada e muito feliz porque se sentia muito melhor.

No culto seguinte, esta irmã foi á igreja e nunca mais perdeu nenhum culto. Ela se tornou uma diaconisa da igreja. Sem dúvida, ela tinha sido curada de maneira sobrenatural. Esse tipo de evento não planejado é trabalho do Espírito, e precisamos permitir que Ele trabalhe na célula. Lembre-se de que os dons do Espírito Santo são concedidos ao Seu povo, e Ele quer manifestar sua presença e poder na célula. Esse equilíbrio entre seguir uma ordem da célula e dar espaço para o Espírito é o que precisamos buscar na célula.

miércoles, 8 de febrero de 2017

LAS CÉLULAS PRIMITIVAS ERAN DINÁMICAS

En el Nuevo Testamento se encuentran varias descripciones de las reuniones de los primeros cristianos. Nosotros tenemos la tendencia a leer esos pasajes desde nuestra perspectiva del siglo veintiuno. Pero ese es un error de interpretación. Debemos recordar que la iglesia primitiva no tuvo locales para el culto sino que se reunían en las casas. De manera que los pasajes que hablan de las reuniones de la iglesia son, en realidad, descripciones de las reuniones en las casas, es decir, lo que hoy llamamos células.
A través de esa ventana en el tiempo podemos asomarnos y observar una de las descripciones de esas células primitivas: “Cuando os reunís, cada uno de vosotros tiene salmo, tiene doctrina, tiene lengua, tiene revelación, tiene interpretación. Hágase todo para edificación” (1 Co. 14:26). Podemos observar las siguientes características:
1-    La reunión en casa era altamente dinámica. Poseía componente muy variados como el canto, la enseñanza, el ejercicio de los dones del Espíritu.
2-    Todos participaban. “Cada uno de vosotros” habla de cada persona en la reunión en casa. No solo de unos sino de cada uno.
3-    Cada quien aportaba desde su don específico. Con lengua, con revelación, con interpretación.
4-    Había un interés común: edificarse. “Hágase todo para edificación.
Este es uno de varios pasajes del Nuevo Testamento que nos muestra el modelo de lo que debe ser una reunión en casa. La edificación estaba asegurada con tantos elementos que se conjugaban. Hagamos de nuestras células reuniones similares.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

The early cells were dynamic.
In the New Testament we find several descriptions of the meetings of the first Christians. We tend to read those passages from our twenty-first century perspective. But that is an interpretation error. We must remember that the early church had no premises for worship but met in the houses. So the passages that speak of church meetings are actually descriptions of meetings in the houses, that is, what we now call cells.
Through that window in time we can look out and watch one of the descriptions of those early cells: “Whenever you come together, each of you has a psalm, has a teaching, has a tongue, has a revelation, has an interpretation. Let all things be done for edification” (1 Cor. 14:26). We can observe the following characteristics:
1-    The house meeting was highly dynamic. It had highly varied components such as singing, teaching, and the exercise of the gifts of the Spirit.

2-    Everyone participated. “Each of you” speaks of each person in the home meeting. Not only of some but of each and everyone.
3-    Each one contributed from his specific gift. With tongues, with revelation, with interpretation.

4-     There was a common interest: to edify. “Let all things be done for edification”.
This is one of several New Testament passages that show us the model of what a house meeting should be. The edification was secured with so many elements that were combined. Let's make of our cells similar meetings.


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

As primeiras células eram dinâmicas.
No Novo Testamento nós encontramos diversas descrições das reuniões dos primeiros cristãos. Nós temos a tendência de ler essa passagem da nossa perspectiva de século 21. Mas isso é um erro de interpretação. Devemos lembrar que a igreja primitiva não tinha construções permanentes.
Pelo contrário, eles se reuniam nas casas. Sendo assim, as passagens que falam de reuniões da igreja são na verdade descrições de reuniões nas casas, isto é, o que agora chamamos de células.
Nesse contexto, e na visão dessa janela no tempo, podemos entender passagens como, “Sempre que vocês se reunirem, cada um de vocês tenha um salmo, tenha um ensino, tenha uma língua, tenha uma revelação, tenha uma interpretação. Tudo seja feito para edificação ” (1 Coríntios 14:26). Podemos observar as seguintes características:
1. A célula era muito dinâmica. Nela tinha componentes muito variados, tais como o canto, o ensino e o exercício dos dons do Espírito.
2. Todos participavam. “Cada um de vocês” fala de cada pessoa na célula. Não apenas alguns, mas todos e cada um.
3. Cada um contribuía com seu dom específico (línguas, revelação, interpretação, etc.)
4. Havia um interesse comum: edificar. “Tudo seja feito para edificação”.
Esta é uma das várias passagens do Novo Testamento que nos mostra como era uma reunião em casa. Edificar cada pessoa era o principal, mesmo que fossem muitos elementos para uma reunião. Vamos fazer nossas células semelhantes. 

jueves, 2 de febrero de 2017

EL PASTOR COMPARTIENDO LA VISIÓN CELULAR

El pastor principal es el responsable de desarrollar los aspectos estratégicos del trabajo celular. Esos aspectos no deberían ser el resultado de sus ideas personales sino del propósito de Dios para su obra. El entender los propósitos de Dios supone cultivar una comunión íntima con él, una dependencia del Espíritu Santo y procesos de meditación sinceros. Una vez el pastor capta los designios de Dios, se convierten en una visión para ser desarrollada en la iglesia local. El pastor se apropia de esa visión y la convierte en su guía y su pasión para su trabajo.
Un elemento clave de la visión, es la habilidad para transmitirla a otras personas. Una visión que no se comunica adecuadamente puede perder su efectividad y encanto. Como bien lo dice Joel Comiskey, “el pastor no debe tener la visión sino la visión debe tener al pastor”. Cuando eso ocurre, la pasión que despierta el estar poseído por una visión provee del ánimo adecuado para transmitirla a otros. Esa comunicación se vuelve clave en la relación del pastor con sus miembros de equipo: sean pastores de zona, supervisores y líderes.
Las reuniones periódicas del pastor principal con su liderazgo son esenciales para la comunicación de la visión. Ese elemento es el que unifica e inspira al equipo, les permite asumir las metas establecidas y les ayuda a encontrar las respuestas a los retos de cada día. 



TRADUCCIÓN AL INGLÉS

The pastor sharing the cell vision.
The leading pastor is responsible for developing the strategic aspects of cell work. Those aspects should not be the result of his personal ideas but of God's purpose for his work. Understanding God's purposes involves cultivating an intimate communion with him, a dependence on the Holy Spirit and processes of earnest meditation. Once the pastor captures God’s intentions, these become a vision to be developed in the local church. The pastor appropriates that vision and makes it his guide and passion for his work.
A key element of the vision is the ability to transmit it to others. A vision that is not adequately communicated may lose its effectiveness and charm. As it is well said by Joel Comiskey, “the Pastor should not have the vision but the vision must have the Pastor.” When that happens, the passion that awakens being possessed by a vision provides the right mood to pass it on to others. That communication becomes key in the relationship of the Pastor with his team members: whether they are zone pastors, coaches and leaders.
Regular meetings of the leading Pastor with his leadership are essential for communicating the vision. That element is what unifies and inspires the team, it allows them to take on the established goals and helps them find answers to the challenges of each day.



TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS
       
Compartilhando a visão celular.
O pastor principal é responsável por desenvolver os aspectos estratégicos do ministério celular. Sua estratégia não deve ser o resultado das suas ideias pessoais, mas o propósito de Deus para o ministério. Entender o propósito de Deus envolve cultivar uma comunhão íntima com Ele, uma dependência no Espírito Santo, e uma meditação séria. Uma vez que o pastor capta as intenções de Deus, ele precisa desenvolver essa visão na igreja local. O pastor vive e aplica a visão e faz dela sua paixão e estilo de vida.
Um elemento principal da visão é a habilidade de transmiti-la á outros. Uma visão que não é comunicada adequadamente pode perder sua efetividade e atratividade. Como o Joel Comiskey costuma dizer: ” o pastor não deve ter a visão, mas a visão deve ter o pastor”. Quando isso acontece, a paixão se torna um estilo de vida e é transmitida para as pessoas, tanto aberta como secretamente. Comunicar a paixão e visão é a chave no relacionamento do pastor com seus membros, sejam eles pastores de distrito, supervisores ou líderes.

Reuniões recorrentes do pastor com a sua liderança são essenciais para comunicar a visão. Paixão e visão une e inspira a equipe, e permite-lhes assumir as metas estabelecidas e responder aso desafios de cada dia.           

jueves, 26 de enero de 2017

LA EDIFICACIÓN MUTUA

Al volver a las páginas del Nuevo Testamento encontramos una imagen de la iglesia cristiana bastante diferente a la que conocemos hoy en día. Es muy notorio que la vida de los primeros cristianos era bastante activa. Con frecuencia encontramos la expresión “los unos a los otros”. Por ejemplo, que debemos amarnos “los unos a los otros” (Juan 13:34) y hay, al menos, otros once versículos que repiten la frase. También se nos habla de confortarse los unos a los otros (Romanos 1:12), preferirse los unos a los otros (Romanos 12:10-11), recibirse los unos a los otros (Romanos 15:7), amonestarse los unos a los otros (Romanos 15:14), servirse los unos a los otros (Gálatas 5:13-14), soportarse los unos a los otros (Efesios 4:2), ayudarse los unos a los otros (Efesios 4:16), perdonarse los unos a los otros (Efesios 4:32), someterse los unos a los otros (Efesios 5:21-22), soportarse los unos a los otros (Colosenses 3:13), exhortarse los unos a los otros (Colosenses 3:16), alentarse los unos a los otros (1 Tesalonicenses 4:18), animarse los unos a los otros (1 Tesalonicenses 5:11) y un largo etcétera.
Vemos que varias de las tareas que hoy se reservan para los pastores eran ejercidas por todos los creyentes y de manera mutua por los primeros cristianos. El ejercicio de este ministerio de los unos a los otros se daba en la intimidad de las reuniones en las casas. La cercanía en las relaciones era aprovechada para edificarse mutuamente. De esa manera, el cuerpo de Cristo era edificado y la iglesia crecía en dones y gracia. El modelo celular proporciona a la iglesia el espacio adecuado para ejercer esas funciones que están claramente mencionadas en el Nuevo Testamento. Siempre estuvieron allí, es la iglesia quien olvidó llevarlas a la práctica.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

Mutual edification.
Returning to the pages of the New Testament we find a very different image of the Christian church we know today. It is very noticeable that the life of the early Christians was quite active. We often find the phrase "one another". For example, that we should love "one another" (John 13:34) and there are at least eleven verses that repeat the phrase. It also talks to us about encouraging one another (Romans 1:12), about being devoted to one another (Romans 12: 10-11), accept one another (Romans 15: 7), admonish one another (Romans 15:14), serve one another (Galatians 5: 13-14), bearing with one another (Ephesians 4: 2), helping one another (Ephesians 4:16) forgiving one another (Ephesians 4:32), submitting to one another (Ephesians 5: 21-22), bearing and forgiving one another (Colossians 3:13), teach and admonish one another (Colossians 3:16), encouraging each other (1 Thessalonians 4:18), encouraging one another (1 Thessalonians 5:11) and so on.
We see that many of the tasks that today are reserved for pastors were exercised by all believers and in a mutual way by the early Christians. The exercise of this ministry of one another occurred in the privacy of home meetings. The close relations were harnessed to build each other up. Thus, the body of Christ was edified and the church grew in gifts and grace. The cell church model provides the church with adequate space to exercise those functions that are clearly mentioned in the New Testament. These were always there; it is the church who forgot to put them into practice.


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

Edificação mútua.
Voltando às páginas do Novo Testamento, encontramos uma imagem muito diferente da igreja cristã que conhecemos hoje. É muito perceptível que a vida dos primeiros cristãos foi bastante ativa. Muitas vezes encontramos a frase “uns aos outros”. Por exemplo, que nós devemos amar “uns aos outros” (João 13:34) e há pelo menos onze versículos que repetem essa frase. Ela também nos fala sobre encorajar uns aos outros (Romanos 1:12); sobre sermos dedicados uns cons os outros (Romanos 12:10-11), aceitar uns aos outros (Romanos 15:7), aconselhar uns aos outros (Romanos 15:14), servir uns aos outros (Gálatas 5:13-14), suportar uns aos outros (Efésios 4:2), ajudar uns aos outros (Efésios 4:16), perdoar uns aos outros (Efésios 4:32), sujeitar uns aos outros (Efésios 5:21-22), suportar e perdoar uns aos outros (Colossenses 3:13), ensinar e admoestar uns aos outros (Colossenses 3:16)  encorajar uns aos outros (1 Tessalonicenses 4:18) e assim por diante.

Vemos que muitas das tarefas que hoje são reservadas aos pastores foram exercidas por todos os crentes e de maneira mútua pelos primeiros cristãos.  O atividade deste ministério um com o outro aconteceu na privacidade das reuniões domésticas. As relações íntimas foram aproveitadas para construir umas às outras. Assim, o corpo de Cristo foi edificado e a igreja cresceu em dons e graça. O modelo de igreja em células fornece à igreja espaço suficiente para exercer as funções que são claramente mencionadas no Novo Testamento. Eles sempre estiveram lá; a a igreja é que esqueceu de pô-los em prática.