jueves, 4 de septiembre de 2014

LA ORACIÓN COMO LA NATURALEZA DEL CRISTIANO.

El principal obstáculo que hay que afrontar al momento de orar es el hecho de considerar a la oración como un elemento externo a la persona. Es decir, verla como un ejercicio ajeno a la interioridad de la persona. Por el contrario, si la oración es adoptada como parte del estilo de vida de una persona, pronto se convertirá en parte de su naturaleza.
Este no es solamente un asunto de repetición con el fin de crear un hábito sino que se trata de una adopción de los valores y de las motivaciones de la oración. De igual manera que hay algo más que repetición y hábito en la vida matrimonial, la oración se asume como parte de la vida misma. No se trata solo de que una persona modifique su agenda para hacer espacio para la oración sino que la persona misma sea modificada por la oración. Alcanzar el estado en que la oración es ya parte de la naturaleza de la persona.
Cuando se construye el estilo de vida de una persona que ora, no habrá elementos externos que puedan impedir el ejercicio de la oración. De igual manera que deben ser situaciones muy extremas las que alteran nuestra necesidad natural de alimento y sueño, serán muy extremas las condiciones que impidan la oración a quien ha sido modelado por ella.
Cuando las personas se reúnen en la célula o en la celebración, la práctica de la oración surgirá de manera espontánea. Como espontánea es la comunión y otras características propias de la naturaleza de los cristianos.


TRADUCCIÓN AL INGLÉS

Prayer as the Christian’s nature.
The main obstacle to face when praying is the fact of considering prayer as an external element to the person. I mean, seeing it as an exercise that has nothing to do with the person’s inner self. On the contrary, if prayer is adopted as part of a person’s lifestyle, it will soon become part of his nature.
This is not just a matter of repetition in order to create a habit but it is about adopting the values ​​and motivations of prayer. Just as there is more than repetition and habit in married life, prayer is assumed as part of life itself. It is not just about a person changing her schedule to make room for prayer but the person herself being changed by prayer. Reaching the state in which prayer is already part of the person’s nature.
When the lifestyle of a person who prays is built, there will be no external factors that may hinder the exercise of prayer. Similarly to the very extreme situations that alter our natural need for food and sleep the conditions that will impede prayer will have to be very extreme for he who has been shaped by it.
When people gather in the cell or in the celebration, the practice of prayer will appear spontaneously, as it is spontaneous the fellowship and other characteristics that belong to the Christians’ nature.


TRADUCCIÓN AL PORTUGUÉS

Oração como parte da natureza do Cristão.
O maior obstáculo para a oração eficaz é pensar na oração como algo externo à vida de uma pessoa. Algumas vezes nós pensamos que a oração não ter nada a ver com o eu interior de uma pessoa. Por outro lado, quando nós visualizamos a oração como parte do estilo de vida de uma pessoa, ela logo torna-se parte de sua natureza.
Essa não é só uma questão de repetição para criar um hábito; ao contrário, é adotar os valores e motivações da oração. Assim como há mais do que repetição e hábito em um casamento, a oração deve ser vista como uma parte íntima da vida de uma pessoa. Não é só sobre alguém mudando sua agenda para dar espaço à oração. Na realidade, é permitir que a oração mude a pessoa.
Quando a oração se torna um estilo de vida, não haverá fatores externos que possam atrapalhar o exercício da oração. Assim como uma pessoa precisa de comida e dormir, a pessoa com um estilo de vida de oração terá a certeza de estar orando. Quando as pessoas se reunirem na célula ou em um culto de celebração, a prática da oração irá acontecer espontaneamente porque a oração tornou-se parte da natureza do crente.